Sinopse:
Cinco histórias de feitiçaria ricas em aventura, intriga e, claro, magia. Traduzidos a partir das runas antigas por Hermione Granger e complementados com comentários bem fundamentados de Albus Dumbledore, estes cinco contos clássicos surgem agora numa nova e magnífica edição.

Com introdução, notas e ilustrações de J.K. Rowling, Os Contos de Beedle, o Bardo vão entusiasmar e encantar tanto Muggles como feiticeiros.

Ao comprares este livro único e especial, estarás a ajudar a Lumos a concretizar o objetivo de que, em 2050, nenhuma criança, em nenhuma parte do mundo, tenha ainda de viver em instituições ou orfanatos, e de que todas as crianças possam crescer no seio de uma família.



Idade Recomendada: 10 a 14 anos


Para mais informações procurar aqui.


Os Viajantes é a sequela de Os Passageiros do Tempo.


Sinopse:
Etta Spencer não sabia que era uma viajante até ao dia em que emergiu a quilómetros e a anos da sua casa. Agora que lhe roubaram o objeto poderoso que era a sua única esperança de salvar a mãe, Etta encontra-se presa mais uma vez, longe do seu tempo e de Nichola, corsário do século XVIII por quem se apaixonou. Quando se vê no coração do inimigo, promete terminar o que começou e destruí-lo de uma vez por todas. Mas é surpreendida com uma revelação bombástica sobre quem é o seu pai. De repente, questionando tudo pelo que lutou, Etta tem de escolher um caminho que poderá transformar o seu futuro.


Citações:
«Uma aventura de viagens no tempo rica em detalhes históricos, capaz de deixar muitos leitores sem fôlego e com um final surpreendente.» | Booklist

«Ritmo acelerado até à última página.» | School Library Journal

«Um livro estimulante de uma saga avassaladora. Os enredos principais e secundários bem trabalhados e o final em suspense vão deixar os leitores deslumbrados.» | Publishers Weekly


Para mais informações procurar aqui.


Sinopse:
Philip Pullman regressa ao universo de MUNDOS PARALELOS.

Malcolm Polstead tem onze anos, Os pais gerem A Truta, uma estalagem muito frequentada nas margens do rio Tamisa, perto de Oxford, Malcolm é muito atento a tudo o que o rodeia, mas sem chamar a atenção dos outros, Talvez por isso, fosse inevitável vir a tornar-se num espião, É na estalagem que ele, juntamente com o seu génio Asta, descobre uma intrigante mensagem secreta sobre uma substância perigosa chamada Pó, Quando o espião, a quem a mensagem era dirigida, lhe pede que preste redobrada atenção ao que por ali se passa, o rapaz começa a ver suspeitos em todo o lado: o explorador Lorde Asriel; os agentes do Magisterium; Coram, o cigano; a bela mulher cujo génio é um macaco malicioso,,, Todos querem descobrir o paradeiro de Lyra, uma menina, ainda bebé, que parece atrair toda a gente como se fosse um íman, Malcolm está disposto a enfrentar todos os perigos para a encontrar,,,

A trilogia Mundos Paralelos vendeu milhões de exemplares em todo o mundo e vai ser adaptada a série de televisão pela BBC One.


Críticas de Imprensa:
«Poucas coisas no nosso mundo valem uma espera de dezassete anos: O Livro do Pó é uma delas.»
The Washington Post

«O universo que Philip Pullman criou e continua a desenvolver é um feito extraordinário. O Livro do Pó é uma obra de leitura compulsiva.»
The New York Times

«Uma vez mais, o universo fantástico de Philip Pullman surge no preciso momento em que nos pode ensinar muito mais sobre nós próprios, como se esse universo fosse, ele mesmo, guiado pelo Pó.»
Entertainment Weekly

«Uma deslumbrante viagem transcendental. Magia e intriga fervilham em O Livro do Pó - La Belle Sauvage. É um privilégio regressar a este universo!»
BuzzFeed

«O Livro do Pó deixa-nos a desejar ler o próximo volume o mais depressa possível. Temos a sorte de poder desfrutar das palavras de Philip Pullman - palavras que continuarão a alimentar a nossa alma e a nossa imaginação por muito, muito tempo.»
Hypable

Para mais informações procurar aqui.



Sinopse:
Sou uma adolescente. Como tu, provavelmente. Os meus avós nem se lembram do meu nome, a minha irmã trocou-me por meia dúzia de pincéis e passo os dias a lidar com dramas amorosos que nem sequer são meus. Não passo da rapariga com os seus All Stars velhos que se encosta a um canto da escola com o seu croissant matinal e deseja diariamente por dois segundos estar na pele das raparigas cujos nomes toda a gente sabe. Ele? Vai haver momentos em que vou pensar tanto no nome dele que já nem sequer vai fazer sentido dentro da minha cabeça. Eu? Nunca poderia imaginar que dali a 2 meses, o nome não seria o único detalhe sobre mim que todos ficariam a saber.

Autora:
A Inês Marques apresenta-se desta forma:
“A minha vida é tão interessante quanto a vida de uma rapariga de 16 anos deveria ser. Nasci em Sintra e mudei-me para a Margem Sul com dois anos de idade. Sete anos: idade com que comecei a praticar ballet, atividade que se iria prolongar por dois anos. Decidi dedicar-me à equitação aos 13 anos, e após três anos desisti por causa de uma lesão. Entretanto, descobri que a fotografia era uma das minhas grandes paixões: tudo começou com uma crise de eczema no Norte que me obrigou a ficar trancada em casa, portanto decidi fotografar flores. Escrita? Tudo começou com o que a minha professora do quarto ano escreveu no meu livro de finalista: “ Espero um dia poder agarrar num livro e poder dizer que foi escrito pela minha aluna Inês”. Creio que este livro é a prova disso.”

Opinião:
Alexandra é uma adolescente de 15 anos que ao longo desta obra, vai descrevendo os seus dramas e de quem convive com ela ao longo do seu dia-a-dia. Digo dramas, porque nesta idade qualquer acontecimento menos bom é um drama… quem não se lembra ao passar por esta idade de os ter/fazer?? Alexandra não foge à regra… Vamos conhecendo as suas amigas e menos amigas, a sua família (as brigas entre ela e irmã), os seus professores e os seus amores e desamores, tudo com o drama característico destas idades.
Quem é que poderia descrever melhor estas situações se não uma adolescente!! E é isso que a adolescente, Inês Marques, de 17 anos, faz tão bem. Uma obra de leitura muito fluída que tem tudo para deixar uma adolescente presa e na espetativa do início ao fim, e que se vai identificar em algumas das peripécias da vida de Alexandra. 


Para mais informações procurar aqui.
Uma prenda para oferecer a alguém muito especial: 
de todas as filhas, para todas as mães.


Este é o livro que todas as filhas vão querer dar às mães: Uma Filha Nunca Esquece Uma Mãe. A prenda que lhe podem dar no dia de aniversário, no dia da Mãe, mas também em todo e qualquer dia. É um livro íntimo, com 50 situações que qualquer filha já viveu com a sua mãe. É um livro de evocação sentimental, profunda e ternamente nostálgico. Bonito e discreto como o amor que junta mãe e filha. Começa assim:
«Mãe, quero oferecer-te este livro: parecendo o retrato de todas as mães, é o espelho de ti, dos estremecidos cuidados que me dedicaste, dessa onda de amor com que cercaste a minha infância, a minha adolescência, todo o meu crescimento até ser, como tu, uma mulher.
Olho para cada uma das fotos deste livro, leio cada uma das páginas e vejo--te, a ti, ao teu rosto, aos teus gestos, à tua coragem. És tu em cada imagem e em cada palavra. Vejo-te debruçada sobre o meu berço, vejo-te a levares-me de mão dada à escola, vejo-te a empurrares-me no balouço do jardim.
E sabes, mãe. Sinto-te em cada página. Sinto que vens de mansinho, para não me acordares, esticar o lençol na minha cama dos seis anos, a cama de todos os meus sonhos. Sinto o teu braço a deslizar pelo meu ombro, a aconchegar-me, no dia em que, pela primeira vez, tive um mal de amor. Sinto e ouço o teu riso solto, a tua alegria cristalina, dos dias em que, «por ser uma linda menina», te fiz feliz.
Mãe, se és tu que estás neste livro, deixa--me dizer-te que tudo o que está neste livro também sou eu. Foi assim, de uma alegria genuína, ou com gravidade e tristeza nos momentos menos bons, que eu te vi, e foram estas as palavras que então te quis dizer. Estas são, mãe, as minhas palavras.»

Às palavras juntam-se 50 fotografias num tom sépia, iguais às fotografias de um velho álbum de família. Disponível em todas as livrarias e locais de venda habituais a 16 de Janeiro.






Este mês de Janeiro de 2018 com o apoio da Editorial Presença, temos um exemplar da obra de Joseph Joffo "Os Meninos que Enganavam os Nazis" para oferecer na nossa rubrica.



Sinopse:
Os Meninos que Enganavam os Nazis é uma história verídica. A luta pela sobrevivência contada por um menino judeu na França ocupada pelos nazis. 

1941, Paris é uma cidade ocupada pelos exércitos nazis. O poder de Hitler controla a França; as perseguições e o medo pairam por todo o país. Joffo, um respeitado barbeiro judeu, decide dispersar a sua família de forma a evitar o destino cruel que os espera a todos. Depois da fuga dos filhos mais velhos, perante o perigo sempre à espreita, Joseph, de apenas dez anos, e Maurice, de doze, deixam também a capital, entregues a si próprios, para tentarem escapar à brutalidade e à morte. Uma impressionante história autobiográfica, narrada pelo irmão mais novo, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da amizade, da generosidade, do espírito de entreajuda.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??

Balanço 2017

Início de novo ano é tempo de balanços... (by Paula)

2017 foi um ano interessante aqui no blogue e na minha vida em geral... foi o ano em que conclui duas Pós-Graduação, uma em Neuroeducação e outra em Protecção de Crianças e Jovens em Risco e Justiça. Não é que estas Pós-Graduações tivessem "interesse" directo na profissão que eu exerço, mas são temáticas que para a vida em geral são muito muito úteis, para além de que o saber não ocupa espaço e conheci pessoas fantásticas!!

Fazendo um balanço, no que se refere às  leitura foi um ano de pouca leitura, nomeadamente vinte e quatro livros lidos... Pouco é também relativo. Dei-me conta disso quando comentei o nº de livros lidos com alguém e recebi como resposta - "Olha li apenas um..."

Dos 24 lidos, faço um Top 3 e destaco os seguintes:
A Vida em Surdina, David Lodge
A Mulher, Meg Wolitzer

Foi um ano de muitos filmes vistos e algumas séries... prevejo que 2018 serão mais... sou uma Netflix adicted...
O outro dia li algures no facebook a seguinte frase "sou de signo livros com ascendente em séries" achei imensa piada e que se enquadrava perfeitamente em mim.

Como sempre, não cumpri o objectivo a que me propus, vou manter aqueles mesmos livros separados a ver se começo a ler algum. Outro objectivo que também ficou por cumprir foi a leitura de Dr. Jivago de Boris Pasternak. Faltam-me apenas umas 100 páginas para finalizar, mas ainda assim não cumpri. Vou ver se o leio e opino até Fevereiro. 

Outras curiosidades sobre mim em 2017 que não interessam a ninguém (mas que ficam registadas na mesma):
-Não emagreci, mas também não engordei;
-Fiz pouco exercício físico;
-Fiz uma alimentação saudável, cometendo uns pecados pelo meio (chocolates, chocolates)
-Comprei pouquíssimos livros, não chegou à dezena!!

Que 2018 seja um ano de boas leituras e alegrias!!



Vamos então ao balanço de 2017… (by Lígia)

2017 foi o ano em que me juntei ao Vasco e à Paula, embora já cá andasse há muito… por isso é um ano que vai ficar sempre no meu coração. Também é um ano especial a nível pessoal, finalmente o meu pequenino (é assim que lhe costumo chamar embora já tenha 1,45 metros) foi batizado e fez a primeira comunhão. 

A nível de leituras, foi um ano em  que li muito, mas que gostava de ter lido muito mais… entre livros infanto-juvenis e para adultos li oitenta e cinco. Consegui vencer um pouco a minha “compulsão” na compra de livros, mas ainda assim fiquei um pouco aquém do que gostaria. Resumindo… a estante continua com livros, que aposto que são maravilhosos, mas que ainda não tive oportunidade de os ler…

Quanto ao meu TOP, gostei de vários, mas vou referir-me apenas a um para a adultos e um infanto-juvenil:
- “Ensaio Sobre o Dever (Ou a Manifestação da Vontade) de Rute Simões Ribeiro – este livro foi uma surpresa maravilhosa, há pouco tempo fiquei a saber que esta autora vai publicar uma nova obra, estou em “pulgas” pelo seu lançamento.
 - “O Lápis Mágico de Malala” de Malala Yousafzai (Infanto-Juvenil) – tem todos os ingredientes para uma obra infantil… é simplesmente belo.

Quanto ao desafio de leitura de 2017 (podem ver aqui) foi cumprido e consegui ler os 14 livros a que me tinha proposto (terminei o último no dia 31 de Dezembro). Este ano reduzi a pilha do desafio de 2018 e vou ficar nos 12 livros, um por mês…  parece-me bem…



Desejo-vos a todos um bom ano e de preferência com muito boas leituras ;)
Este, será o post de registo das nossas leituras de 2018



Paula


JANEIRO




Lígia


JANEIRO
1 - Se Isto é Uma Mulher, Sarah Helm
2 - #SEMDRAMAS, Inês Marques

Vasco


JANEIRO

Infelizmente mais uma vez a vencedora deste passatempo não nos contactou, sendo assim fizemos um novo sorteio entre os participantes.

A Vencedora do Passatempo éééééééééééééé

Joana Teixeira

(fica a foto do comentário)


Joana, tens a partir de hoje, 30 dias para enviares os teus dados para o mail do blogue
ligialeituras@gmail.com 


Parabéns e continuação de boas leituras!
E começamos o Monday de 2018!!!!




Este mês de Janeiro de 2018 com o apoio da Editorial Presença, temos um exemplar da obra de Joseph Joffo "Os Meninos que Enganavam os Nazis" para oferecer na nossa rubrica.



Sinopse:
Os Meninos que Enganavam os Nazis é uma história verídica. A luta pela sobrevivência contada por um menino judeu na França ocupada pelos nazis. 

1941, Paris é uma cidade ocupada pelos exércitos nazis. O poder de Hitler controla a França; as perseguições e o medo pairam por todo o país. Joffo, um respeitado barbeiro judeu, decide dispersar a sua família de forma a evitar o destino cruel que os espera a todos. Depois da fuga dos filhos mais velhos, perante o perigo sempre à espreita, Joseph, de apenas dez anos, e Maurice, de doze, deixam também a capital, entregues a si próprios, para tentarem escapar à brutalidade e à morte. Uma impressionante história autobiográfica, narrada pelo irmão mais novo, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da amizade, da generosidade, do espírito de entreajuda.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??

Convite…

Vítima de stalking, António Manuel Ribeiro conta o inferno que viveu



«Este não é um livro que eu quis, mas é o livro que precisei»

Durante quase dez anos, de 2003 a 2012, António Manuel Ribeiro – vocalista dos UHF – foi vítima do primeiro caso de stalking mediático a chegar aos tribunais portugueses. És Meu, Disse Ela, é o relato desses anos que quase o levaram à loucura com milhares de mensagens, chamadas, esperas, perseguições, delírios inimagináveis. Chegou às livrarias a 2 de Janeiro.

Cristina/82, a mulher obcecada pelo músico, levou o seu fascínio ao extremo e fez da vida de António Manuel Ribeiro um verdadeiro pesadelo. Uma mulher de quem nada sabia começou a persegui-lo e a atormenta-lo, num cerco infernal. Uma história tão mirabolante quanto verdadeira. Este foi o primeiro caso de stalking julgado e condenado em Portugal.

Da loucura da perseguição à incompetência da justiça, És Meu, Disse Ela é o livro que revela os sentimentos de um homem desesperado, por não conseguir tomar em mãos as rédeas do seu destino, fustigado pela sombra sempre presente de uma perseguidora. Mas o homem resistiu e triunfou, porque nunca desistiu. Deixamos aqui um pequeno excerto: «O leitor irá encontrar nas páginas deste livro um exército de personagens, reais ou virtuais (uma nova forma de existir), que acolitaram a agressora nos seus intentos. Houve disponibilidade, meios e dinheiro para executar um plano. Por vezes o irreal transmutar-se-á em surreal. Mas aconteceu. Está documentado e integra a matéria julgada – não há ficção do autor.

Os meus comentários, sendo opiniões, não são juízos de valor, mas tão só a primeira resposta a uma agressão, a invasão da privacidade que se tornou persistente, algo que não pedi, mas que interferia com a minha vida, criando cenários, heterónimos acolitados, novos entusiasmos (mais agressões) que visavam condicionar-me e manter-me focado. Como as torres e os vigias de um campo de concentração.

Eram a primeira reacção, a legítima defesa psicológica que afastava o recurso à violência física. Enquanto o agressor vive sob a capa de ser um presumível inocente até prova em contrário (trânsito em julgado da sentença após o expediente dos recursos), a vítima fica entregue ao seu bom senso, ou não, abandonada pelo sistema judicial enquanto o processo decorre. Lemos vulgarmente que é feita justiça pelas próprias mãos, quando o desespero vence e a perda de lucidez acontece. Não foi o meu caso.»

A sessão de lançamento decorre a 6 de Janeiro, às 17h00, na Fnac Colombo. Com apresentação de José Jorge Letria.



Sinopse:
António Manuel Ribeiro conta toda a história do pesadelo que viveu entre 2003 e 2012. Cristina/82, uma mulher de quem nada sabia, começou a persegui-lo e a atormentá-lo, num cerco infernal. Atacou-o com milhares de mensagens, chamadas, esperas, perseguições, delírios inimagináveis. Uma história tão mirabolante quanto verdadeira. Alvo de stalking, um dos primeiros casos conhecidos em Portugal e o primeiro a ser julgado, António Manuel Ribeiro foi obrigado a travar uma luta hercúlea para voltar a ter vida. Da loucura da perseguição à incompetência da justiça, este é o livro que revela os sentimentos de um homem desesperado, por não conseguir tomar em mãos as rédeas do seu destino, fustigado pela sombra sempre presente de uma perseguidora. Mas o homem resistiu e triunfou, porque nunca desistiu. Agora voltou a ser livre, escapando a um caso que poderia ter acabado em violência grave, e que, em muitos outros casos, conduziu mesmo à morte.

Autor:
António Manuel Ribeiro. Nasceu em Almada em 1954. Fez o liceu entre as duas margens do Tejo. Podia ter sido arquitecto, viveu (bem) da pintura nesses anos que antecederam a revolução de Abril, mas o destino ofereceu-lhe a Faculdade de Direito em 1974. Farto da guerrilha política, foge para Filologia Românica em 1976. Estagia no jornal Record, onde fica até 1980.
Fundou os UHF em 1978; três anos depois o país rende-se ao hino Cavalos de Corrida. Integrou, como independente, as candidaturas presidenciais MASP I e II, de Mário Soares, e as primeiras de Manuel Alegre, Fernando Nobre e Paulo de Morais. Em 1993 é eleito deputado municipal em Almada. No final de 2012, foi nomeado embaixador do Direito de Autor da Sociedade Portuguesa de Autores. Assina crónicas em jornais e rádios, sem regularidade.
Bibliografia: Todas As Faces de Um Rosto (poesia, 2002);
Se o Amor Fosse Azul Que Faríamos Nós da Noite (poesia, 2003);
Cavalos de Corrida – A Poética dos UHF (antologia, 2005);
O Momento a Seguir (poesia, 2006);
Por Detrás Do Pano (crónicas, 2015).
És Meu, disse Ela, é o primeiro título que publica pela Guerra & Paz.
Discografia: Está representado com os UHF em 171 edições, incluindo compilações com outros artistas. A solo editou:
É Hoje/Agora (1987);
Pálidos Olhos Azuis (1992);
Sierra Maestra (2000);
Somos Nós Quem Vai Ganhar (2003).

Sinopse:
O Vermelho e o Negro é a obra-prima de Stendhal, onde melhor o autor desenvolveu a psicologia das suas personagens. Entre elas, destaca-se Julien Sorel, o herói do romance, uma das criações mais complexas da história da literatura. Filho maltratado de uma família pobre, está determinado a escapar às suas origens. Muitíssimo inteligente, de espírito calculista, embora orgulhoso e por isso incapaz de fazer cedências, às vezes idealista e apaixonado, outras cínico e inclemente: vive numa insatisfação permanente. Falta-lhe experiência de vida, é ambicioso, mas não tem os meios para satisfazer essa ambição. Dividido entre a Igreja e o Exército, entre sonhos de glória e uma existência subalterna, acumula vitórias e sofre derrotas. Todas estas contradições levarão à tragédia.
Stendhal deu ao mundo um livro que é mais do que um livro, é vida feita literatura. Lançou bases importantes para o desenvolvimento do romance moderno, influenciando muitos dos grandes escritores contemporâneos, como Hemingway, que considerava O Vermelho e o Negro um dos seus livros de eleição.

Autor:

Stendhal. Marie-Henri Beyle, mais conhecido pelo seu pseudónimo Stendhal, nasceu a 23 de Janeiro de 1783, em Grenoble. Órfão de mãe com apenas sete anos, o pretexto de se matricular na École Polytechnique leva-o até Paris. Após ter integrado o exército napoleónico, alista-se no regimento em Itália. Com a queda de Napoleão, instala-se em Milão mas, por suspeita de espionagem, acaba por regressar a Paris. Foi nomeado cônsul francês em Trieste (1830) e em Civitavecchia (1831). Notabilizou-se como crítico, ensaísta e romancista: Histoire de la peinture en Italie (1817), Naples et Florence (1817), Do Amor (1822), Vie de Rossini (1824), Racine et Shakespeare (1823 e 1825), Armance (1827), Promenades dans Rome (1829). Dando primazia ao perfil psicológico e comportamental das personagens, o seu estilo declara-o como um dos primeiros praticantes do realismo. O Vermelho e o Negro (1830) e A Cartuxa de Parma (1839) consagram-no universalmente. Morre em 1842, em Paris, e obras autobiográficas, como Journal, Vie de Henri Brulard e Souvenirs d’égotisme, são já publicadas postumamente.


Sinopse:
Sou uma adolescente. Como tu, provavelmente. Os meus avós nem se lembram do meu nome, a minha irmã trocou-me por meia dúzia de pincéis e passo os dias a lidar com dramas amorosos que nem sequer são meus. Não passo da rapariga com os seus All Stars velhos que se encosta a um canto da escola com o seu croissant matinal e deseja diariamente por dois segundos estar na pele das raparigas cujos nomes toda a gente sabe. Ele? Vai haver momentos em que vou pensar tanto no nome dele que já nem sequer vai fazer sentido dentro da minha cabeça. Eu? Nunca poderia imaginar que dali a 2 meses, o nome não seria o único detalhe sobre mim que todos ficariam a saber.

Autora:
A Inês Marques apresenta-se desta forma:
“A minha vida é tão interessante quanto a vida de uma rapariga de 16 anos deveria ser. Nasci em Sintra e mudei-me para a Margem Sul com dois anos de idade. Sete anos: idade com que comecei a praticar ballet, atividade que se iria prolongar por dois anos. Decidi dedicar-me à equitação aos 13 anos, e após três anos desisti por causa de uma lesão. Entretanto, descobri que a fotografia era uma das minhas grandes paixões: tudo começou com uma crise de eczema no Norte que me obrigou a ficar trancada em casa, portanto decidi fotografar flores. Escrita? Tudo começou com o que a minha professora do quarto ano escreveu no meu livro de finalista: “ Espero um dia poder agarrar num livro e poder dizer que foi escrito pela minha aluna Inês”. Creio que este livro é a prova disso.”



Sinopse:
A história de um jovem dividido entre duas religiões e dois amores, em busca da sua liberdade e da do seu povo, na Andaluzia do séc. XVI. 1568. Depois de derrotados por Isabel, a Católica, a comunidade muçulmana andaluza sobrevive com muitas dificuldades, sob a constante repressão dos Cristãos, mas depressa o descontentamento dá lugar a uma sanguinária revolta. Entre os revoltosos encontra-se Hernando, um jovem desprezado pelo seu próprio povo e maltratado por Brahim, o seu padrasto. Dotado de uma extraordinária habilidade para lidar com animais, Hernando salva a vida ao filho de uma jovem belíssima, Fátima. Dividido entre a fé que lhe foi incutida e as atrocidades que vê serem cometidas em nome de Alá, o seu coração impele-o a ajudar um nobre cristão, obtendo a sua eterna gratidão. Porém, a sua coragem e honestidade também lhe granjeiam alguns inimigos, sobretudo o seu cruel padrasto que, aproveitando-se da morte do rei, consegue condenar Hernando à escravatura e desposar a bela Fátima, o grande amor do enteado. Brahim, na qualidade de lugartenente do novo monarca, parece inatacável, e Hernando parece condenado à desgraça… 

Opinião:
Esta foi a minha última leitura do ano e também o último livro para terminar o meu desafio literário de 2017. Podem ver aqui.
Entretanto vou fazer uma publicação para o desafio literário deste ano.

Deste autor já li “A Catedral do Mar” e “A Rainha Descalça”, mas “A Mão de Fátima” foi a leitura que mais gostei. Entre os que li, se alguém me perguntar por qual começar para conhecer este excelente autor, aconselho este sem dúvida alguma.
Eu adoro romance histórico, adoro aprender sobre outras épocas sem fazer qualquer esforço para isso e de uma forma prazerosa, e este escritor é excelente nisso.
Este livro é de leitura muito fluída e num instante se lê estas 920 páginas, por isso não se assustem nem pensem que vão demorar uma eternidade para o terminar.  
O tema abordado nesta obra embora decorrido na segunda metade do século XVI (na Península Ibérica) é muito actual, esta “guerra” entre cristão e muçulmanos, este derramamento de sangue entre estas duas religiões que pensamos ser muito diferentes, mas que têm muitos pontos em comum. É baseado nestes pontos comuns que Hernando (personagem principal deste livro) tenta que cristãos e muçulmanos possam viver juntos em comunidade, cada um prestando em liberdade o seu culto. E é essa luta que vamos acompanhando neste livro.
São 920 páginas em que passamos por tudo, desde a crueldade, ao desespero, à tristeza, à alegria, à injustiça, à crença, à vingança e principalmente ao Amor.

Recomendo… Conhecimentos e emoções na dose certa.
E começamos o Monday de 2018!!!!




Este mês de Janeiro de 2018 com o apoio da Editorial Presença, temos um exemplar da obra de Joseph Joffo "Os Meninos que Enganavam os Nazis" para oferecer na nossa rubrica.



Sinopse:
Os Meninos que Enganavam os Nazis é uma história verídica. A luta pela sobrevivência contada por um menino judeu na França ocupada pelos nazis. 

1941, Paris é uma cidade ocupada pelos exércitos nazis. O poder de Hitler controla a França; as perseguições e o medo pairam por todo o país. Joffo, um respeitado barbeiro judeu, decide dispersar a sua família de forma a evitar o destino cruel que os espera a todos. Depois da fuga dos filhos mais velhos, perante o perigo sempre à espreita, Joseph, de apenas dez anos, e Maurice, de doze, deixam também a capital, entregues a si próprios, para tentarem escapar à brutalidade e à morte. Uma impressionante história autobiográfica, narrada pelo irmão mais novo, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da amizade, da generosidade, do espírito de entreajuda.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


E chegou o tão aguardado momento de revelarmos quem vai ganhar o exemplar de "O Deus do Deserto" de Wilbur Smith referente à rubrica do mês de Dezembro !!!



A vencedora é Mia Alex.
Mia, tens 30 dias a contar de hoje para enviares os teus dados para o mail do blogue:
viajarpelaleitura@gmail.com


Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??

Blogger Templates by Blog Forum